Uma nova coordenação nacional para o Experimento Marcos!

Quando eu, Jessica, ouvi falar sobre o Experimento Marcos em 2011, na Assembleia Mundial da Comunidade Internacional de Estudantes Evangélicos (IFES, na sigla em inglês), meu coração aqueceu e eu sabia que tinha de me envolver. Quase todo mundo que atuou sob minha direção já ouviu essa história. O que me chamou atenção foi o fato de que a peça estava impactando corações na Europa, terreno cada vez mais secular e difícil para a missão estudantil. Eu via essa dificuldade no meu dia-a-dia na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH – USP). Mas mesmo com todo o esforço que eu e muitos outros tiveram para trazer e firmar o projeto no Brasil, eu jamais teria imaginado apresentar a peça na própria FFLCH para 60 espectadores, como aconteceu em dezembro de 2017.
 
Os planos de Deus para a missão são muito maiores do que os nossos.Ele colocou o Experimento Marcos no meu coração, mas também no da Nivea, do Neto e outros. Alguns, como Neto, conheceram a peça fora do Brasil e voltaram com o desejo de fazer disso uma realidade aqui. Outros se interessaram só de ouvir falar. Era o Espírito Santo nos guiando para que a peça pudesse ser uma realidade por aqui, uma ferramenta para os trabalhadores da seara de Deus.
 
Já organizamos 31 grupos desde a primeira peça em julho de 2014. Apresentamos em escolas, universidades, acampamentos e até centros culturais. São mais de 400 atores que imergiram no Evangelho de Marcos e uma média de 4800 espectadores que experimentaram a história de Jesus.
 
Com tudo isso, há dois anos Deus colocou no meu coração o desejo de “organizar a casa” e “passar o bastão” da coordenação nacional do Experimento Marcos Brasil. Atualmente, trabalho na Aliança Bíblica Universitária do Brasil (ABUB) como assessora de comunicação e arte e faço mestrado em literatura – é muita coisa. Embora eu quero e vou continuar dirigindo e ajudando a peça, percebi muito claramente como deixar estudantes à frente do projeto poderia dar o gás e a conexão com esta geração necessários para continuar experimentando por todo o Brasil.
 
Em 2018 tivemos cinco grupos, a maioria de igrejas, e essa diminuída me mostrou que estava na hora de fazer a transição. Além disso, a maioria das apresentações tem acontecido no Sudeste do país, e sonho com isso crescendo com firmeza para o Nordeste, Norte e Centro-Oeste.
 
Depois de muita oração e conversa, quero apresentar para vocês as novas coordenadoras nacionais! Ambas são estudantes que participam da ABUB e já dirigem Experimentos Marcos desde 2016.

Gemima Jacinto é estudante de direito e participa da ABU ABC (SP). Arianne Constantino é estudante de arquitetura e participa da ABU Natal (RN). Com duas coordenadoras, cada uma num canto do país, a ideia é que elas consigam encorajar mais grupos e divulgar melhor o projeto em todo canto. Ore por elas! Ore para que consigam planejar bem os próximos passos do Experimento Marcos de acordo com a vontade de Deus. Que, por meio delas, esta ferramenta evangelística continue alcançando escolas, universidades e igrejas para a glória de Cristo!
 
Daqui em diante, elas cuidarão deste site do Experimento Marcos. Por isso decidi escrever em primeira pessoa e contar um pouco sobre esse processo de transição. Eu continuarei conectada ao projeto, sonhando junto com a Gemima e Arianne, mas o bastão está com elas. E com vocês também, especialmente em oração, não é? Contamos com vocês!

O grande produtor: Deus faz acontecer

Enquanto estudante, Bruno Hessel, da ABU São Paulo (SP), participou de um Experimento Marcos como ator. Este ano, ele pode começar seu treinamento como diretor na apresentação de agosto da mocidade do Presbitério do Extremo Leste Paulistano, da Igreja Presbiteriana do Brasil. Bruno nos conta, na perspectiva de um diretor de primeira viagem, como foi:

“Desde o começo, da primeira reunião informativa, que foi uma pessoa que no fim não participou, a gente ficou meio assim [receosos]. Mas no fim deu tudo certo.

Fiquei muito nervoso antes do primeiro ensaio. O pessoal diz que está estudando, mas como podemos garantir? E apesar de tudo vi o pessoal repetindo as sequências e logo sabia que tinham dado conta e se esforçado. Isso é muito bom. Apesar de termos desistências, foi uma equipe que foi muito boa e conseguiu suprir os buracos.

Eu via o pessoal tendo dificuldades, esquecendo as falas, não se expressando tão bem, meio travados com fala e expressão corporal. Mas Deus realmente fez com que tudo desse certo, com que as coisas se encaminhassem apesar de nós sermos bem falhos. Ele fez tudo funcionar. Foi um negócio bem da hora, todo Experimento Marcos é um milagre acontecer e funcionar.

Outra coisa da visão de ser ex-ator, especialmente do meu caso, é ver outra perspectiva da peça. Na primeira apresentação de cada um criamos um padrão [mental] do que muitas vezes achamos que é o correto, tentei orientar a equipe a fazer como eu tinha feito e visto, mas realmente em cada equipe há uma interpretação diferente. Foi uma coisa interessante.

Minha mãe assistiu ambas apresentações, e ela disse que achou essa apresentação com os atores mais soltos e naturais do que a da ABU da USP. Os atores não tinham preocupação em dar clareza às falas, de dicção das palavras, mas acabou trazendo mais naturalidade à peça.”

Já a atriz Laura Marcondes disse:

“O que mais me surpreendeu foi que, apesar de no começo dos ensaios parecer muito difícil da peça sair, conforme o tempo foi passando conseguimos fazer uma coisa bem legal. Acredito que Deus tenha nos abençoado muito. Acho que, durante o Experimento Marcos, Deus falou comigo sobre como é possível me dedicar mais a estudar a Bíblia, porque com a responsabilidade de estudar para a peça todos tiveram que arranjar tempo para ler e conseguimos. Então estudar mais é possível e necessário. Não só estudar mas também praticar.”

Nossa próxima apresentação será no dia 1º de dezembro, às 19h30, entre Americana e Santa Bárbara D’Oeste (SP), na Rua do Césio, 509 – Mollon. A equipe mescla participantes de diversas igrejas da região. Ore por eles e por aqueles que já viram e vivenciaram o Experimento Marcos!

Informações em seu email e relato da peça em Itabira

A cada três meses enviamos um informativo para aqueles que querem interceder pelo Experimento Marcos no Brasil, para recebê-lo inscreva-se neste link.

O Experimento Marcos tem crescido bastante desde seu início no Brasil, em 2014. Somos mais de 10 diretores nacionais, fizemos 29 peças com mais de 360 atores. Em média, 4.740 pessoas já viram a peça!

Assim como a semente da parábola em Marcos 4:26-29, o Espírito Santo continua atuando dia e noite para que sua obra missionária cresça. Ele também segue atuando no coração daqueles que assistiram, e já conhecemos histórias e pessoas que foram transformadas.

Neste ano, tivemos três apresentações em Minas Gerais e estamos nas semanas de estudo para mais uma em São Paulo (SP), que ocorrerá na zona leste. A última peça foi com o grupo da Aliança Bíblica Universitária (ABU) de Itabira, com duas apresentações: uma numa escola, outra aberta ao público geral.

Quanto à apresentação na escola, a diretora Nivea Damaceno compartilhou:

“Quando levantei para fazer a conclusão pude olhar na cara de cada aluno e muitos estavam em prantos. Tenho certeza que Deus falou inclusive com os que riram”.

A atriz Tharcy Germano compartilhou no feedback que fazemos:

“O convite para participar do Experimento surgiu em uma época em que eu não estava muito bem. Estava cheia de responsabilidades e me sentia sufocada com tantas obrigações. (…) Posso afirmar: nós recebemos bastante, o Experimento uniu ainda mais o grupo da ABU Itabira, Deus nos mostrou que nos capacita para fazer coisas inimagináveis, além de nos mostrar a importância do ‘Ide’, no lugar onde mais vivemos: a universidade”.

Continue orando pelo projeto e pelas próximas apresentações! Quaisquer dúvidas é só escrever para contato@experimentomarcos.com.br. Confira as imagens das apresentações na nossa página do Facebook.

O evangelho todo em 90 minutos

É uma receita simples: o evangelho de Marcos em 90 minutos, por 15 atores sem experiência prévia teatral necessária. Só isso. Sem figurino, sem cenário, sem microfones, sem roteiro e sem efeitos especiais. Mas estes 90 minutos dão vida a uma velha história.

Ficou curioso? Enquanto preparamos este site dê uma olhada no vídeo abaixo, feito quando fizemos financiamento coletivo.